Notice: Undefined index: name in /home/antoacom/public_html/templates/spring/html/mod_mainmenu/default.php on line 130

INTRODUÇÃO

 

Caro Leitor

Saudações e Benvindo à página oficial de António Rita Ferreira.

Com a provecta idade de 90 anos e num derradeiro esforço o Autor publicou a sua última obra –uma Coletânea de obras inéditas de cerca de 500 páginas, após 5 anos de trabalho árduo.

Fez -se uma edição impressa limitada que foi em parte oferecida a amigos, estudiosos e bibliotecas várias e em parte distribuída por livrarias em Portugal e em Moçambique para venda ao publico. Quando se pensou em como fazer uma maior divulgação dessa última obra, decidiu -se criar esta página.

Mais tarde decidiu se ampliar o seu âmbito e hoje o Leitor encontrará aqui grande parte das obras publicadas pelo Autor ao longo da sua vida, quer em forma de livros quer como artigos escritos tanto na imprensa especializada, como divulgados em jornais diários e semanários.

Por fim o Autor estipulou que a sua obra deveria ser do domínio público, para consulta livre e sem custos tanto para o curioso interessado, como para o Académico dedicado ao estudo da Etno –história e problemas sociológicos dessa vasta área da Africa Oriental de que Moçambique faz parte integrante.

Esta página tem vindo a ser actualizada com alguma regularidade. Em 2018 foi aqui publicada na íntegra a sua única obra ficcional- o romance “ NHANGURO “ mais tarde re intitulada “ TERRAS DE SERVIDÃO“. Este romance nunca foi publicado em forma de livro mas entrou em concurso literário. Este processo foi rodeado de polemica e de mesquinhez o que causou grandes dissabores ao Autor que comenta este episódio na sua biografia pormenorizada também disponível neste site. Nunca mais se entusiasmou de forma a escrever uma outra  obra ficcional.

Este ano e para relembrar o falecimento de António Rita Ferreira no Domingo de Páscoa de 2014, publicam- se os artigos semanais escritos em jornais Laurentinos durante os anos 60 e 70 do seculo XX. Contam se mais de 150 artigos .

A digitalização foi feita de fotocópias parte do espólio herdado pela família. Infelizmente a qualidade dessas velhas fotocópias deixa muito a desejar e o Leitor terá de fazer um esforço e persistir para optimizar a sua visualização sabendo que por fim, será compensado.

Note-se que por vezes o Autor recorreu a pseudónimos como por exemplo António da Mata.

Neste lote também estão incluídos artigos que não sendo da sua autoria por qualquer razão estão incluídos pois devem ter interesse dentro de um certo contexto.

A obra vastíssima do Autor não deixa de impressionar. Embora estes artigos de jornais fossem dirigidos a um público leigo não deixam de ser tanto acessíveis como são eloquentes e por vezes cáusticos.

Os velhos problemas de África sentidos durante o período colonial em  grande parte ainda afligem o continente nos dias de hoje .Nesse sentido a obra do Autor mantém um relevância que não se pode ignorar .

O Autor foi um acérrimo defensor da imperiosa necessidade do desenvolvimento socio-económico das populações rurais como a verdadeira solução para a modernização .

Muitos dos problemas apontados nestes editoriais agora acessíveis estão por resolver, sendo a sua solução agora mais complexa perante uma explosão populacional e uma degradação do ambiente natural.

E estes editoriais outrora lidos numa qualquer esplanada de Lourenço Marques ao entardecer porventura com uma cerveja gelada a acompanhar ,não deixam de se fazer sentir hoje com o mesmo vigor que se fizeram sentir na época , quando o Autor  tentou despertar a consciência dos seus contemporâneos tanto para os esforços da administração colonial como também para as grandes injustiças praticadas .

Num futuro que espero  breve será publicada  correspondência que o Autor trocou com alguns Estudiosos e Especialistas de reputação internacional assim com alguns inéditos .

Deixo um especial agradecimento à FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES  em Lisboa que zela por grande parte do espólio do Autor .  Tendo feito a devida catalogação tem toda a informação disponível on-line para consulta .

Em memória do meu Pai, o meu grande Amigo.

Filipe Rita Ferreira

Portimão 4 de Março 2019